Notícias

Mestrado da Fundacentro propõe modelo para avaliar PCMSO

Banca de defesa contou com os médicos Luiz Carlos Morrone e Eduardo Algranti

Por ACS/C.R. em 26/12/2013

O médico do trabalho Davi Ribeiro dos Santos apresentou uma proposta de modelo de avaliação de Programas de Controle Médico de Saúde Ocupacional – PCMSO em sua dissertação de mestrado, defendida no dia 13 de dezembro, em São Paulo. O trabalho, realizado no Programa de Pós-Graduação “Trabalho, Saúde e Ambiente” da Fundacentro, teve a orientação do doutor em toxicologia Tarcísio Buschinelli.

O Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional deve ter caráter preventivo e fazer o diagnóstico precoce dos agravos à saúde. Para tanto, precisa ser planejado com base em um amplo levantamento das condições de trabalho, o que inclui conhecimento da atividade realizada e visita ao local de trabalho.

O pesquisador destacou, assim, a importância do acesso do médico ao trabalhador e a seu posto de trabalho. “O PCMSO pode ser um importante instrumento de prevenção e promoção de saúde”, defende Davi Santos.

Em sua pesquisa, Santos analisou atributos como coerência técnica, operacionalidade e continuidade de PCMSOs selecionados a partir de inquéritos do Ministério Público do Trabalho. De 20 documentos, três foram analisados por ele e por avaliadores independentes, criando-se um método de avaliação.

“A qualidade do PCMSO hoje em dia é muito ruim. Ele tem pouca condição de efetivamente ajudar a melhorar as condições de trabalho. Vejo essa iniciativa do Davi como extremamente rica e necessária”, afirmou o doutor em saúde pública pela Universidade de São Paulo – USP e professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Luiz Carlos Morrone, um dos membros titulares da banca de mestrado.

Já o outro membro da banca, o pesquisador da Fundacentro e doutor em saúde pública pela USP, Eduardo Algranti, destacou o potencial prático do trabalho, que permite canalizar resultados de riscos ocupacionais. “Você foi pelo caminho certo e contribui com uma proposta que tem aplicação”.

A aprovação pela banca não significa o fim desse trabalho. O orientador da pesquisa, Tarcísio Buschinelli, e o coordenador da Pós-Graduação, Carlos Sérgio da Silva, levantaram a possibilidade de transformar a pesquisa em um guia prático para avaliar PCMSO, publicado pela Fundacentro.

“Esse é um trabalho de coragem. Não pode acabar aqui. O Davi está no grupo da Anamt [Associação Nacional de Medicina do Trabalho] sobre diretrizes do PCMSO, que discute como fazer, e com essa pesquisa traz uma proposta de avaliação e planejamento”, concluiu Buschinelli.

Fonte: Notícias, Fundacentro.
Data 07/01/2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *