Notícias

Pesquisa indica que trabalho noturno pode ser benéfico

 

Em uma recente pesquisa realizada por cientistas europeus, revelou-se que muitas pessoas preferem trabalhar no período da noite devido aos efeitos positivos que o horário representaria para a saúde. Nos países de língua inglesa, existe até mesmo um termo para quem costuma encarar as jornadas noite a dentro: “burning the midnight oil” (“queimando o óleo da meia-noite”). A médica neurologista Sandra Salles, diretora do Centro Integrado de Estudo do Sono (Cies), na Vila Santa Cecília, discorda da pesquisa. Segundo ela, todas as pessoas que trabalham à noite acabam acumulando déficit de sono, causando com isso diversos problemas.

Segundo a médica, existem dois tipos de perfis de pessoas: as matutinas e as vespertinas. As matutinas são aquelas que acordam e dormem cedo e se mantêm despertas e bem dispostas já ao amanhecer. Já as vespertinas dormem e acordam tarde, tornando-se mais produtivas à noite. Também existem os dormidores curtos, que são aquelas pessoas que se contentam com poucas horas de sono, e os dormidores longos, que precisam de mais de dez horas de sono para descansar. Baseados nessas informações, a neurologista Sandra diz que o trabalhador noturno se encaixa mais no perfil do vespertino, caso o trabalho neste horário seja opcional.

Com relação ao tempo passado na cama, Sandra alega que o sono noturno faz falta ao trabalhador que trabalha à noite pois ele é restaurador, tendo uma maior qualidade que o diurno.

Para o caso das pessoas que são obrigadas a trabalhar quando a maioria da população já dorme, elas acabam acumulando déficit de sono e isso, com o tempo, causa diversos problemas à saúde, como falta de atenção, sonolência diurna, alteração de memória e de apetite, ganho de peso, alterações cardiovasculares, hipertensão e alterações neuropsíquicas.

– Mesmo para quem trabalha à noite e descansa durante o dia, sempre haverá sequelas pelo mesmo motivo. Já para aqueles trabalhadores que têm dois empregos, um de dia e outro à noite, as consequências à saúde serão piores ainda, pois mesmo que ele seja do tipo dormidor longo ou vespertino, ele precisará dormir algumas horas. Outra consequência que o trabalho noturno causa é que o ser humano acaba perdendo todo o seu convívio social – alerta.

No caso de quem sofre de insônia e prefere a jornada noturna por esse motivo, a neurologista afirma que ele pode apresentar sequelas.

– Todo trabalhador de turno sempre tem um preço a pagar por esse horário noturno. O ideal para quem trabalha à noite é ter um turno de 12 horas e outras 36 de folga, como algumas empresas sérias fazem. A única vantagem que vejo neste horário alternativo é a econômica, com o ganho da hora extra e adicional noturno – lamenta.

Os acidentes de trabalho também têm uma maior incidência à noite, alerta Sandra, principalmente entre as duas e as quatro horas da manhã, onde o impulso ou necessidade de dormir é maior. Nesse período também ocorrem muitos acidentes de trânsito envolvendo carretas e ônibus.

Preferências

Apesar das desvantagens à saúde, ainda existe muita gente que prefere exercer suas atividades no que costuma ser o horário de descanso da maioria.

O auxiliar operacional Paulo Henrique, de 19 anos, funcionário de uma empresa de ônibus localizada no bairro Vila Maria, em Barra Mansa, disse que está satisfeito com a experiência, pois acaba ficando com o tempo livre durante o dia. Se puder escolher, ele afirmou que vai manter o horário.

– Trabalho entre meia-noite e seis da manhã e das 18h à meia-noite alternadamente durante sete dias e com um dia de folga. No início achei um pouco cansativo, mas depois acostumei. Gosto desta carga horária porque tenho bastante tempo livre durante o dia, onde aproveito para estudar e fazer academia – disse ele.

A recepcionista Cleide Ferreira é outra que prefere trabalhar à noite; ela trabalha em turnos alternados, duas vezes por semana à noite e duas vezes durante o dia, com direito a duas folgas.

– Prefiro à noite porque o tempo passa mais rápido, principalmente nos fins de semana, mesmo que seja mais cansativo. Desta forma, posso ficar com os filhos e cuidar da casa durante o dia – afirmou.

Para o porteiro Carlos Alberto, de 24 anos, que trabalha há um ano e seis meses no horário noturno, o serviço em horário alternativo não o incomoda, pois já está acostumado em razão de já ter trabalhado à noite como terceirizado na CSN.

– No meu caso a vantagem é financeira, pois aproveito o dia para trabalhar em outro serviço na Câmara Municipal de Barra Mansa, onde sou concursado e exerço função administrativa. Apesar de me sentir um pouco cansado durante a noite, eu considero gratificante o trabalho noturno, pois ajuda a complementar a minha renda. A única desvantagem que vejo é ficar privado de algum lazer com a família num final de semana ou feriados – declarou.

Taxista acha cansativo o trabalho noturno

Há cinco anos trabalhando como taxista no horário das 18 às 7h, com apenas uma folga semanal, o motorista Bruno de Souza Fortes, 29 anos, encara a jornada por falta de opção, pois o dono do carro prefere dirigir de dia.

– Se pudesse escolher, trabalharia durante o dia, pois poderia ter mais vida social e aproveitaria a noite para sair com a família e amigos. Acho mais cansativo durante a noite. Outra desvantagem que vejo em trabalhar é em relação à segurança, principalmente nos bairros periféricos – explicou.

Fonte: Revista Proteção: Notícias
Data: 03/10/2012 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *