Notícias

Saúde: Ações de prevenção contribuem para promoção da saúde na empresa

 

Quando foi a última vez que os bebedouros de água em sua empresa foram limpos? Quando foi realizada a última análise desta água? Como está a saúde e a higiene das pessoas que preparam as refeições diárias? Os aparelhos de ar condicionado possuem manutenção periódica? As pessoas que realizam estas atividades estão preparadas e foram treinadas para isto? Estas são algumas perguntas que poucas pessoas realizam quando estão trabalhando.

A maioria dos estudos referentes à Saúde e Segurança do Trabalho está relacionada com a identificação dos riscos e com as ações a serem tomadas após essa identificação, a medida correta na elaboração de qualquer política de segurança. A questão é que determinados riscos são menosprezados, principalmente aqueles envolvendo aspectos de higiene e limpeza e que podem ser eliminados ou minimizados com a adoção de medidas preventivas sem necessitar de grande investimento.

Exemplo disto são as intoxicações alimentares de origem biológica ou química, devido à refeição fornecida ou decorrente da água consumida na empresa, que podem ser consideradas como acidentes de trabalho por causarem perturbação funcional. Muitas empresas nem sequer notificam estes fatos, mas muitas pessoas já ouviram falar de conhecidos que passaram por esta experiência desagradável.

Intoxicações podem ocorrer em qualquer empresa, independente de seu porte. O motivo pelo qual ocorrem geralmente tem ligação com as práticas de ­políticas de segurança, entre elas, ações simples de higiene e de manutenção do ambiente de trabalho. Principalmente as micro, pequenas e médias empresas subestimam os riscos existentes no ambiente laboral. Pode-se considerar estes cuidados como aspectos básicos de qualidade de vida do trabalhador.

Cenário

Segundo o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa), 96% das micro, pequenas e médias empresas não cumprem as Normas Regu­la­mentadoras de Saúde e Segurança do Trabalho. Com relação aos acidentes de trabalho nestas organizações, dados da OIT (Organização Internacional do Trabalho) apontam que 34% do total de acidentes e 41% dos acidentes graves ocorrem em empresas com menos de 25 empregados. Estes são dados gerais, não específicos para o Brasil ou para um determinado segmento econômico. São muitas as causas para estes altos valores, desde a falta de recursos financeiros para a implantação de programas de SST até o desconhecimento sobre a respectiva legislação.

Autores: Rosmeire Paez Maia, Luiz Mauricio Wendel Prado e Neide Andrzejewski
* Artigo foi apresentado no XVIII Jolaseht (Jornadas Latino-Americanas de Segurança e Higiene no Trabalho) em novembro de 2011 no Rio de Janeiro.

Fonte: Revista Proteção
Data: 05/06/2012

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *