Notícias

Menos absenteísmo, maior produtividade

Saúde em Foco

Os temas saúde e segurança merecem a atenção dos gestores dentro de um ambiente de trabalho. Em 2009, foram registrados 723 mil casos de acidentes e doenças no trabalho, entre os trabalhadores assegurados pela Previdência Social. Cerca de 620 mil trabalhadores foram registrados por incapacidade temporária, sendo aproximadamente 302 mil afastados por até 15 dias, e 320 com tempo de afastamento superior a 15 dias. Esses números resultaram em R$ 14,2 bilhões de reais destinados apenas aos benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Por isso, proteção e prevenção no ambiente de trabalho ganham, a cada dia,  maior visibilidade no mercado.

Entre o ranking das doenças que mais afastam os trabalhadores, estão as:

  • Dorsopatias (dores nas costas);
  • Tendinites e tenossinovites (movimentos repetitivos das mãos e dos punhos);
  • Traumatismos de joelho e perna;
  • Transtornos de humor.

Essas doenças resultam em dores, fadiga, estresse e, principalmente, em declínio do desempenho profissional. Incorrendo diretamente ao absenteísmo (termo utilizado para especificar ausência no trabalho). “Geralmente, o absenteísmo é entendido como um fato isolado, e é frequentemente consequência das condições inadequadas de trabalho a que o funcionário é exposto. Ambientes com pouca ventilação, com ruídos, mal iluminados, com alta cobrança para execução de tarefas ou simplesmente onde os funcionários não se comunicam de forma satisfatória, podem ser suficientes para somatizar e provocar inúmeras doenças”, explica a mestre em Ciência da Saúde, Cláudia Lana.

De acordo com Cláudia, para evitar o absenteísmo, é indicada a ergonomia. Essa ciência tem como objetivo alcançar o bem-estar do ser humano no ambiente de trabalho, mantendo a segurança e a organização. A ergonomia pode ser compreendida como a ciência que estuda a adaptação do trabalho ao homem, e não do homem ao trabalho. Ela tem se tornado uma preocupação constante nas empresas, visto que já foi comprovado que um funcionário saudável e feliz com seu ambiente de trabalho produz mais e melhor, o que reflete em menos retrabalho, menos afastamentos por licença-saúde, menos substituições e, consequentemente, mais lucro para a empresa. Fornecer ao trabalhador condições ideais não requer um grande investimento. A profissional indica estratégias simples como a prática regular de exercícios físicos, alimentação equilibrada e saudável, bastante ingestão de líquidos e sono regular. Além disso, a boa convivência com os amigos e colega de trabalho também contribuem para aumentar o bem-estar e melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores, permitindo mais saúde e menos ausência no trabalho.

O ergonomista Marcos A. Domaneschi, filiado à Associação Brasileira de Ergonomia, comenta que pequenas ações podem ser bastante úteis para evitar o absenteísmo. Pessoas que trabalham sentadas devem levantar a cada duas horas, e se trabalham muito tempo em pé, devem sentar-se no mesmo intervalo. Quem trabalha no computador, a cada uma hora e meia, deve realizar alongamentos dos braços, aconselha. Para os colaboradores que carregam peso constantemente, vale ficar atento ao peso. O limite do peso da carga está relacionado à postura e ao peso. Por exemplo, para um homem que for carregar um peso de uma mesa para outra mesa, a carga deve ser de no máximo 23 kg, mas se for carregada do chão para uma mesa, deve pesar até 15 kg. O peso depende de como você vai manuseá-la. Além disso, vale lembrar que devemos evitar andar mais de 10 passos carregando cargas pesadas, explica.


Fonte: Jornal Pequeno

Além de medidas ergonômicas, promover a integração dos funcionários é fundamental. Campanhas de conscientização também são importantes para mantê-los cientes de que são um diferencial significativo para a empresa. Claudia Lana aconselha aos gestores: Invistam na saúde e qualidade de vida dos trabalhadores, promovam estratégias para melhorar o ambiente de trabalho e invistam em ergonomia, pois a prevenção sempre tem menos custo que o tratamento de doenças, tanto para o empregado, quanto para a empresa.

Dicas para manter a postura correta dentro e fora do local de trabalho:

  • Flexione os joelhos sempre que for pegar um peso no chão;
  • Evite apoiar os pés nas rodinhas da cadeira;
  • Contraia o abdômen quando for caminhar, olhe para frente e não para baixo, mantenha os ombros alinhados e para trás;
  • Não utilize o notebook na cama ou no sofá. Ele deve estar sempre sobre uma mesa;
  • Pessoas que trabalham em pé devem sentar-se a cada duas horas e realizar alongamentos, o contrário vale para pessoas que trabalham sentadas;
  • Evite andar mais que 10 passos carregando peso.

Fonte: Jornal Pequeno
Data 17/04/2012

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *